10 motivos para ler histórias aos filhos – Parte 1

Ler para as crianças antes de dormir fortalece o vínculo familiar e ajuda no desenvolvimento da aprendizagem.

Depois de um dia cheio, é difícil arrumar tempo para se dedicar às crianças. Mas o contato entre pais e filhos, sem televisão ligada ou telefone tocando, é fundamental para fortalecer vínculos. Quando chega a hora de dormir, que tal sentar à beira da cama e contar uma história para os pequenos? Para a psicóloga Daniela Chagas, contar histórias não é só um gesto de amor: trata-se de algo fundamental para a aprendizagem. Veja os benefícios dessa prática.

  1. Cria o hábito da leitura

Quando o adulto mostra que gosta de ler, incentiva a criança a se interessar também. Pequenos que leem bastante escrevem melhor e têm bom desempenho na escola.

Na hora de contar: demonstre prazer com a leitura e pergunte ao seu filho se ele gostaria de ler ou contar para você um trecho da história.

  1. Gera autoconfiança

Os conflitos narrados ajudam a enfrentar angústias que farão parte da vida, como o medo da morte.

Na hora de contar: ressalte como foi importante para o personagem enfrentar desafios com coragem e como isso pode ser feito no dia a dia.

  1. Desenvolve a linguagem

Algumas histórias trazem termos pouco usados e enriquecem o vocabulário.

Na hora de contar: fique de frente para seu filho para que ele possa ver como você pronuncia as palavras.

  1. Transmite crenças e valores positivos

Muitos enredos ajudam a entender a diferença entre o bem e o mal e anunciam como alguns problemas podem ser solucionados.

Na hora de contar: enfatize os valores positivos transmitidos, como o respeito ao próximo, e depois faça uma breve reflexão com a criança.

  1. Melhora a compreensão e ensina a ouvir

O interesse pela narrativa faz com que o pequeno aprenda a manter o foco.

Na hora de contar: desligue a TV e todas as fontes de ruído da casa. Deixe o ambiente calmo. O momento da história deve ser uma hora sagrada. Fale de maneira clara, mas não levante muito o tom de voz.

Fonte: CLAUDIA